3 Layers dairy-free gluten free dessert

3 Layers dairy-free gluten free dessert

  It’s Sunday. Sunday requires laziness and good food! When to this both we add the wish for something sweet we get this recipe, one that doesn’t require any special cooking skills because, let’s be serious, if a kitchen noob like me can do it, anyone can.

3layers-dairy-and-gluten-free-desser

  The first time I tried this recipe I did it in the fastest way possible because I was trying to quickly prepare my lunchbox for the next day. That time I roughly crunched some integral crackers, put them in a mason jar, added some peanut butter and strawberry jam, layering them, and voilá. I enjoy how it turned out but I was left with the wish of trying it in a different way. Here’s how it turned out:

img_2682

img_2684

Ingredients

12 integral crackers (8 finely crushed + 4 roughly crushed)

3 soup spoons of peanut butter (PB)

1 cup of jam (I used strawberry jam)

4 coffee spoons of melted vegan butter

½ cup of vegetal milk

Method:

 1. Crush all the crackers keeping the finely crushed separated from the roughly crushed ones. Adjust the number of crackers used to the size of your ramekins (or mason jars).

2. Use the finely crushed crackers to make the first layer and add a coffee spoon of melted butter. Stir it a bit and then use the back of the spoon to smooth it all.  The butter will make it more cohesive. On top add some of the roughly crushed crackers, to give it a chewy touch, and set aside.

3. Stir the jam you’re going to use to make it easier to use and then cover the crackers to make the second layer.

4. Using a pot to heat the milk and then add the spoons of peanut butter one at a time, while you stir it. At first, it will seem like you’re just making peanut butter milk but then it will gain consistency. Cover the jam with the milk+PB combination and there you go!

For the topping use whatever you want. I used sliced bananas, strawberries, and some of the roughly crushed crackers.

If you’re like me, this will not last long, but that’s ok.

Hope you enjoy it!

Good luck and be kind,

Vânia 

trevo

  É Domingo. Domingo pede preguiça e boa comida. Quando à preguiça e à boa comida adicionamos o desejo de algo doce obtemos esta receita. E tenho a certeza que qualquer pessoa a consegue fazer sem grande esforço porque, sejamos sérios, se eu consigo qualquer pessoa consegue.

3layers-dairy-and-gluten-free-desser

  Da primeira vez que fiz esta receita fi-la da forma mais básica possível porque queria algo rápido que pudesse levar no dia seguinte para o estágio como sobremesa. Dessa vez, esmaguei algumas bolachas à pressa, coloquei-as num mason jar, por cima pús manteiga de amendoim e doce de morango e pronto, lá tinha eu a minha sobremesa. Mesmo tendo-a feito tão à pressa gostei imenso do resultado, mas fiquei com vontade de a experimentar de forma diferente. Aqui está como ficou:

img_2682

img_2684

Ingredientes

12 bolachas integrais (8 finamente esmagadas + 4 esmagadas em pedaços grandes)

3 colheres de sopa de manteiga de amendoim

1 chavena de doce (eu usei doce de morango)

4 colheres de café de manteiga vegana derretida

½ chávena de leite vegetal

Como fazer:

1. Esmaga todas as bolachas mantendo as finamente esmagadas separadas das esmagadas em pedaços grandes. Ajusta a quantidade de bolachas necessárias ao tamanho da taça onde as vais colocar.

2. Utiliza as finamente esmagadas para formar a primeira camada e adiciona uma colher de café de manteiga derretida. Envolve tudo, alisa a superfície usando as costas da colher, coloca por cima alguns pedaços grandes de bolachas e põe de lado.

3. Com uma colher mexe bem o doce de morango para que ele perca a consistência demasiado gelatinosa sendo mais fácil de aplicar. Coloca o doce por cima das bolachas para fazer a segunda camada.

4. Numa panela aquece o leite até estar morno e adiciona as três colheres de manteiga de amendoim, uma de cada vez, enquanto vais mexendo. Ao inicio vai parecer que estás só a fazer leite de manteiga de amendoim, mas à medida que vais adicionando as colheres de MA e mexendo vai ver o ganho de consistência.

Coloca a mistura por cima da camada de doce e pronto, a sobremesa está pronta!

Podes usar o que quiseres para cobertura, eu usei banana, morangos e bolacha!

Espero que gostes desta sobremesa tanto quanto eu!

Boa sorte,

Vânia

Advertisements

Not so Touristy London

Not so Touristy London

  As I said here, I think that there’s something great about enjoying a city in a more easygoing way, trying to become a part of it. It’s very easy to arrive in a new place with the mission of checking off points from our “Must see” list. My guess is that if you do that with London, after seeing the London Eye, taking a classic pic of the Big Ben and gazing the squirrels of the Hyde park, you’ll start to get bored and wondering why is it ever so cloudy. Okay, sure, I’m oversimplifying it. Everyone knows that London’s a beautiful place filled with history, but the point is that there’s a problem with the everyone knows bit. Because of how known the city is, it’s easy to go there too focused on seeing all the famous spots we’ve always heard of, like if there wasn’t anything more to it, ending up feeling that it’s lacking something…

  There’s no shame on those full touristy mode moments, though, like when we decide to bike around on a rented bike (such a touristy thing to do!). But besides freeing our let’s-take-a-million-of-pics-monster, here are some things that I would also advise you to do:

Rough Trade.jpg

1. Eat in cool places

  I’m not talking about eating on the main streets filled with (other) tourists and overpriced food but about the small not so known restaurants with true Londoners. 

The Maltby Street food market and the Breakfast Club restaurant are two good options. I talk about them here.

2. Chill in the record store Rough Trade and have some drinks at the BrewDog bar

  This is what I did on one of my evenings there and it was quite enjoyable. The Rough Trade store is a nice, hipster place (with a café!) where you can spend some time listening to music or admiring and wishing you had a vinyl player (they also have really cool postcards). 

img_2026

 

When it comes to the BrewDog you should definitely pay them a visit if you’re into craft beer. There you can find a big range of it, not only from the U.K but also from several different other countries. They call themselves “libraries of beery masterpieces”, I didn’t get to try a whole lot of their craft beer but I sure can say that the IPA Brewer dog (I was expecting something bitter but not at all) and the Elvis Juice (nicely fizzy) are approved

Processed with VSCO with a6 preset

3.Enjoy a different and nice bar

  While waiting for a table in the vegan Italian restaurant I talk about here I had the chance to go to the Loading bar, a place dedicated to all sort of games (well, not the kinky ones duh). Here you’ll find slot machines (that are free), people playing Pictionary, board games like monopoly all while enjoying a drink or two. So, whenever possible stop by and tell me your thoughts 😊 

Processed with VSCO with a6 preset

4. Have London in the palm of your hand 

  If you want to go that extra mile and don’t mind being called crazy, you can wake up early and go watch the sunrise in primrose hill. That’s what I did, on the morning before my last. I left my friend’s house trying not to wake her, went to Baker Street station and caught a bus till the London Zoo stop where this hill is, next to the Reagent’s park, 63 m above sea level. There you’ll be able the see a small London that practically fits in the palm of your hand.

  One last advice, just be there. Not trying to absorb everything or to fit all into the number of days you have. Let yourself do useless things like watching people pass or having a warm drink in a cool coffee place and finally enjoy it, a lot.

Till next time, London!

Good luck, and be kind,

Vânia 

trevo

  Tal como disse aqui, acredito que a melhor forma de descobrir uma cidade é a tentar fazer parte do seu dia-a-dia e ser mais que apenas um turista com a “missão” de pôr um check na nossa lista de “Sítios que tenho mesmo de ver”. O meu palpite é que se fizeres isso com Londres, depois de veres o London Eye, tirares a típica foto ao Big Ben e veres os esquilos do Hyde Park, vais passar o resto das férias à procura do que fazer, aborrecido com o céu cinzento. Sim, é verdade que estou a simplificar demais, toda a gente sabe que se trata de uma cidade linda e cheia de história, a questão é que há um problema com a parte do toda a gente sabe. Por se tratar de um destino tão conhecido é fácil lá chegar com o foco em todos os locais famosos acerca dos quais estamos tão habituados a ouvir falar. No entanto, se a reduzirmos aos pontos turísticos, podemos acabar a sentir que lhe falta alguma coisa. Com isto não quero dizer que não tive os meus momentos de turista completa, como ser facilmente impressionável ou andar pela cidade numa bicicleta alugada (acho que dificilmente se é mais turista do que quando se aluga uma bicicleta!), mas para além deixar à solta o nosso eu que adora tirar um milhão de fotos, aqui estão algumas coisas que também te aconselho a fazer:

rough-trade

1. Comer em sítios diferentes

  Esqueçam as ruas principais repletas de (outros) turistas e comida exageradamente cara, ao invés, procurem os restaurantes não tão conhecidos cheios de verdadeiros londrinos.

  O mercado de Maltby street e o restaurante The Breakfast Club, são duas boas opções. Falo deles aqui.

2. Passa tempo na loja de discos Rough Trade e bebe uma cerveja no bar BrewDog

  Foi assim que passei uma das minhas tardes em Londres e recomendo! A Rough Trade para além de ser uma loja de discos é também um espaço agradável onde podes ouvir música ou admirar e ponderar começar uma coleção de vinis (dentro da loja também há um café e postais muitos giros!). 

img_2026

 

 Quer adores cerveja artesanal, quer nunca tenhas experimentado (porque se experimentaste provavelmente gostas) tens de ir ao BrewDog Bar! Aqui podes encontrar uma grande seleção de cervejas artesanais, quer de Inglaterra quer do mundo. Eles intitulam-se de “livrarias de obras-primas de cervejas”. Ainda tenho muitas “obras-primas” por conhecer, mas posso dizer que a IPA BrewerDog (que estava à espera que fosse amarga, mas não o é de todo) e a Elvis Juice (agradavelmente gasosa e com um nome spot on) estão aprovadas!

Processed with VSCO with a6 preset

3. Desfruta de um bar diferente

  Enquanto esperava por uma mesa no restaurante italiano e vegan que mencionei aqui, tive a oportunidade de ir a bar chamado Loading, um bar dedicado a todo o tipo de jogos. Aqui vais encontrar slot machines (que são grátis), pessoas a jogar pictionary, monopólio ou Scrabble e tudo isto enquanto desfrutam de uma bebida ou duas. Da próxima vez que estiveres por Londres, passa pelo Loading  e diz-me o que achas :).

Processed with VSCO with a6 preset

4. Tem Londres na palma da mão.

  Se estiveres disposto a tal e não te importares de ser chamado/a de maluco/a, acorda cedo e vai ver o nascer do sol a Primrose Hill. Foi isso que fiz, na penúltima manhã antes de sair de Londres. Saí da casa da minha amiga, tentado fazer o mínimo barulho possível, fui até à estação Baker Street de metro e apanhei o autocarro até London Zoo para chegar a esta colina que se encontra ao lado do parque Reagent, 63 metros acima do nível do mar. No cimo de Primrose podes ver os contornos de uma Londres pequenina que praticamente cabe na tua mão.

  Deixo-te este último conselho, ocupa-te a simplesmente estar em Londres. Não tentes absorver tudo e mais alguma coisa ou fazer tudo caber na quantidade de dias que estarás na cidade. Dá-te autorização para fazer coisas inúteis como ver as pessoas passar ou beber uma bebida quente num café giro e mais que tudo desfruta e muito.

Até à próxima, Londres!

Boa sorte,
Vânia

Meeting Vegan London

Meeting Vegan London

  If you’re vegan, vegetarian, follow a gluten free diet or just like to enjoy food beyond the “meat, meat, meat” norm, you may have seen yourself in the tragic situation of having to say:

“It’s the grilled meat special with all included, but could you please exchange all the meat for more veggies?”

  Sometimes the person taking your order gives you a strange look, in others, they’re your best friend and all of this because malls, especially the small ones, are thought to attend the popular demand and in cities like Lisbon vegan food is only starting to be a part of this lot. However, worry not my friend, London makes it easy! Here’s list of places where you can find awesome vegan food:

1) The obvious – Supermarkets 

 The big supermarket’s chains that can be found in London (Sainsbury’s, Tesco’s, etc)  usually have a “Free from” section where it’s offered a big range of products gluten or dairy free, like chocolate, cookies with chocolate chips, butter, and even cheese Doritos!

2) The obvious – Coffee Shops

  In its vast majority, coffee shops we’ll offer you the option of choosing a dairy free milk (commonly soya milk but almond and coconut can also be easily found). In this way, you don’t have to stick to the boring expresso and instead you’re free to order that guilty-free-decaf-latte-to-go-please.

3) Not so obvious – Free from, Borough Market (Everyday but Sun)

  Imagine a perfect looking and really delicious cupcake… that is completely free from animal products. That’s what you can find in this cutesy food stand called Free From that is located in the Borough Market. They also have cookies, cakes (that can be bought whole or per slice) and a whole lot of gluten-free options. I had a lemon curd cupcake, topped with vegan meringue!   

img_1986

img_1985-1

 

4) Not so obvious – Cookies and Scream, Camden Town Market (Everyday, 10-18)

  If you’re anything like me you probably read Cookies and Cream so read it again! Unfortunately, I did not have the chance to try this place out since it was close when I was in Camden T., but they are a totally dairy, wheat, eggs, and gluten free bakery. Awesome right? Learn more about this awesome place here

  There’s also a guilty free Crepe place called Nojō in Camden. Wander about and you’ll find it 🙂

5) Not so obvious – Hot Dogs, Maltby Street Market. (Sat and Sun)

  This one is a small market that I would risk to say that even some locals may not know about. This food stand in particularly offers you a delicious hot dog that can be served in a bun or with fries. Attention, the bun contains eggs so the vegan option would be the second one.

img_1983-1

6) Not so obvious – Breakfast Club (Everyday, schedule varies)

  This restaurant is inspired by the famous film and has a couple of vegetarian dishes to choose, being that some of them can be made vegan. I had the Reggie the Veggie with no eggs (it comes with beans, multigrain toasted bread, mushroom, grilled tomato, fried potatoes and a veggie sausage )

There’s also a secret bar that you can discover for “dessert”. The drinks are a bit pricey, though (beer 4,5, cocktails between 6.5 and 8.5£), but if you choose to have one had the Tequila My Colada, made with coconut, pineapple (and obviously tequila) and it was great.

img_1990

7) Not so obvious – Vegan Heaven (its real name is Fed by water but mine applies perfectly) (Everyday, 11-23)

  Salads, pasta, pizzas, filled with all sort of cheeses to choose (blue, mozzarella, parmesan, all vegan). I cannon stress enough how good the food here is and I dare you to eat one of theirs vegan cheeses and then an animal derived one and tell which is which. Call in advance, there’s usually a waiting line.

img_1992

  So this was it! Next time you’re in London I invite you to try one of this places… or all of them, and please tell me your thoughts.

Good luck and be kind,

Vânia T

If you liked this post follow the blog on your right and the blog facebook page here

trevo.png

  Se és vegan, vegetariano/a, segues uma alimentação sem glúten ou simplesmente aprecias comida para além da norma “carne, carne, carne”, então é provável que já te tenhas deparado com a trágica situação de ter de fazer o seguinte pedido:

 “Queria o  prato grelhada especial com tudo incluído, mas será que poderia trocar toda a carne por mais vegetais, se faz favor?”

  Por vezes a pessoa que te está a atender devolve-te um olhar estranho, noutras torna-se na tua melhor amiga e tudo porque as pequenas superfícies comerciais estão pensadas para ir de encontro com o que é mais pedido e a comida vegan, em cidades como Lisboa, está ainda só a começar a fazer parte deste grupo.

  No entanto, no que toca a Londres tens a vida facilitada: 

1) O óbvio – Supermercados

  Nas grandes cadeias de supermercados de Londres (como o Tesco’s, o Sainsbury’s, etc) existe normalmente uma secção chamada Free From (livre de) onde podem ser encontrados produtos sem leite ou derivados (dairy free), como chocolate, bolachas com pepitas, queijo, manteiga e até doritos de queijo (sem queijo!).

2) O óbvio – cafés 

  Na grande maioria dos cafés podes trocar o leite habitual por leite de soja, o mais commumente encontrado, mas por vezes também por leite de coco ou de amêndoa. Já não é preciso pedires o básico expresso (para nós o café curto) e ao invés abre-se o mundo do um-cappuccino-com-leite-de-soja-para-levar-por-favor.

3) Não tão óbvio – Free From, Borough Market. (Fechado no Domingo)

  Imagina um cupcake delicioso, perfeitamente decorado com creme… completamente livre de produtos animais! Podes encontrá-lo numa banca chamada Free From, no mercado Borough. Para além dos cupcakes, eles também têm bolachas, bolos (que podem ser comprados inteiros ou à fatia) e várias opções sem glúten. Eu provei o cupcake com curd de limão e topping de merengue vegan!

img_1986

img_1985-1

4) Não tão óbvio – Cookies and Scream, Camden Town Market. (Todos os dias, 10-18)

  Infelizmente não pude experimentar as delícias desta pastelaria pois estava fechada na altura em que estive em Camden (a maior parte das lojas e bancas  abrem por volta das 10), mas trata-se de uma pastelaria completamente livre de leite e derivados, ovos, wheat e de glúten! Sabe mais sobre esta pastelaria fantástica aqui.

  Em Camden Town também existe uma Creparia vegan chamada Nojō (aposto que o nome não reflete os crepes!). Perde-te por Camden e encontra estes sítios (não julguem o trocadilho fácil Face With Rolling Eyes).

5) Não tão óbvio – Cachorros quentes, Maltbey Street Market. (Sábado e Domingo)

  Esta pequena banca de cachorros está dentro de um mercado que, arrisco-me a dizer, muitos moradores locais não conhecem. Aqui podem ser encontrados cachorros vegetarianos deliciosos, servidos num pão (género brioche) ou acompanhado com batatas fritas. Atenção, o pão contém ovos logo a opção Vegan é a segunda.

img_1983-1

6) Não tão óbvio – The Breakfast Club. (Todos os dias, horário variável)

  Este restaurante é inspirado no famoso filme dos anos 80 e oferece um menu com alguns pratos vegetarianos, sendo que alguns deles podem facilmente ser transformados em pratos vegan. Eu pedi o Reggie the Veggie sem ovos (vem com o típico feijão inglês, pão com cereais tostado, cogumelo, tomate grelhado, batatas fritas caseiras e uma salsicha vegetariana). Para sobremesa há um bar secreto a descobrir! As bebidas são um pouco caras (cerveja 4,5, cocktails entre os 6,50 e os 8.50£), mas se te apetecer uma recomendo a Tequila my colada (com coco, ananás e obviamente tequila)!

img_1990

7) Não tão óbvio – Paraíso Vegan (o mome do restaurante é Fed by water mas o que lhe dei é sem duvida aplicável. (Todos os dias, 11-23)

  Comida italiana gourmet, um mundo de saladas, massas e pizzas vegans e vegetarianas, que mais se pode pedir? Desafio: tentar distinguir o queijo vegan deste restaurante com um queijo não vegan. A espera de 45 minutos para entrar sem duvida valeu a pena, adorei este restaurante e espero voltar em breve 🙂 

img_1992

  Estas são as minhas recomendações. Da próxima que estiveres em Londres, após um dia a ver o Big Ben e todas as grandes atrações, aproveita e experimenta um destes sítios… ou todos(!) e diz-me o que achas :). 

Boa sorte,

Vânia T.

Se gostaste deste post segue o blog clicando à tua direita e a página do face do blog aqui

<a href=”https://www.bloglovin.com/blog/18488637/?claim=6hzh4q9rtxn”>Follow my blog with Bloglovin</a>

How to be a Londoner

How to be a Londoner

  I‘m finally up in the air, after an almost one hour delay, so I probably will arrive in London around 2 am. At this point, I’ve firmly decided that I won’t be going in a full tourist mode and that instead, I’ll try my best to feel like a part of the city. I’ve decided this not because I know her by heart (I don’t know if cities have a stated sex or if it’s just me thinking of London as a female), especially because it’s my first time visiting this infamous city, but because I find that to mingle is the best way to really know a place. I want to find a nice coffee shop and slowly sip my drink while watching as people carry on with their busy days, I want to wander through small streets and chit chat with a local.

  This point of view got stuck with me by a friend I made last year while staying in Krakow, Poland. I’m talking about a guy who was always going to new places but even so really hated tourists.

And yes, I will be taking a lot of photos of the famous monuments and streets and walking my feet off but I also will try not to stress over seeing everything nor plan my Day thoroughly.

   As for now, I’ll just keep myself busy thinking of ways of inserting “quite”, “mate”, “Brit” and insert “is, isn’t” in as many sentences as possible.

That will make me sound quite like a Brit, won’t it? kkk

See ya soon L.

trevo.png

 Estou finalmente no meio das nuvens depois de um atraso de quase 1 hora, portanto imagino que só chegarei a Londres por volta das 2 da manhã e a este ponto já decidi que irei em modo “turista completo ativado” mas que ao invés, vou tentar ao máximo fazer tentar sentir-me como parte da cidade. Digo isto, não porque a conheço de cor e salteado (será que as cidades têm mesmo um sexo definido ou eu é que me habituei em Londres como sendo feminina?), até porque é a primeira vez que a visito, mas porque acredito que está é a melhor forma para conhecer mesmo um sítio. Quero descobrir um café acolhedor e sem pressas observar enquanto o mundo prossegue o seu dia preenchido, quero perder em ruelas pequenas e perder tempo a falar com alguém da zona. 

  Este ponto de vista ficou comigo por cause de um amigo que fiz o ano passado, enquanto visitava Cracóvia, Polónia. Este meu amigo passou a vida a chegar e a sair de diversos lugares novos e no entanto odiava turistas.

Mas sim, pretendo tirar imensas fotos aos famosos monumentos e ruas e andar até não poder mais, ao mesmo tempo, pretendo também não stressar ao tentar ver tudo e mais alguma coisa nem planear o meu dia até à exaustão.

  Por agora, vou manter-me ocupada a pensar em expressões inglesas e em como inseri-las o máximo possível no maior número de frases e será que me aventuro num sotaque britânico?…

Até já L.!